A adversidade, o Sol, o Mar e a Evolução do Ser-Humano

A VIDA NUNCA VAI SER MAIS FÁCIL DO QUE É… :)

(o Sol vai deixar de se pôr e o mar deixar de ter ondas??)

Então, mais vale encarar a adversidade com CORAGEM: CONFIAR, ACREDITAR, pedir ajuda de quem nos ama (incluindo e, talvez principalmente, d’Ele)… e depois?

Depois ARREGAÇAR AS MANGAS… e SORRIR :)

Repito, caso não tenham prestado atenção: a vida nao se torna mais fácil!

Nós é que podemos EVOLUIR com o ultrapassar de cada desafio (ou desgraça!) e lidar com mais facilidade e serenidade com a adversidade inevitável…

Sorrir ajuda… Abraçar MUITO também :)

Raquel

Advertisements

Tira a mão do queixo não penses mais nisso… :)

Tira a mão do queixo não penses mais nisso
o que lá vai já deu o que tinha a dar
quem ganhou ganhou e usou-se disso
quem perdeu há-de ter mais cartas p´ra dar
E enquanto alguns fazem figura
outros sucumbem à batota
chega aonde tu quiseres
mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada p´ra andar
a gente não vai parar
enquanto houver estrada p´ra andar
enquanto houver ventos e mar
a gente vai continuar
enquanto houver ventos e mar

todos náo pagamos por tudo o que usamos
o sistema é antigo e não poupa ninguém
somos todos escravos do que precisamos
reduz as necessidades se queres passar bem
que a dependência é uma besta
que dá cabo do desejo
a liberdade é uma maluca
que sabe quanto vale um beijo

Jorge Palma – “A gente vai continuar”

O mais importante de TUDO…

O mais importante de TUDO é não perdermos o foco: SER FELIZ! :D

E isso, em minha opinião, aplica-se ao trabalho também! De que adianta “fazer carreira”, tropeçar nos outros, chegar “ao topo” e viver constantemente em stress, ansiedade, “prisão”…! Não é?

Qual é o objectivo principal da Vida? Se me perguntarem, eu respondo a gritar a plenos pulmões: SER FELIZ! :)

E não num sentido abstracto ou inalcansável!! Mas… um sentimento: sentir-me feliz por dentro… no dia-a-dia… Não necessariamente TODO o dia, mas invariavelmente TODOS os dias…

E é isso que me guia… É também é isso que me faz levantar de cada vez que sinto que o meu fardo é demasiado pesado e não aguento mais! (E, nestes últimos meses, peso não tem faltado…).

Mas eu recuso-me a não ser feliz! Por isso, levanto-me, sacudo a poeira e SIGO :)

Quem vem comigo?

Raquel :)

SORTEIO “O que sabem as mulheres felizes” :)

Olá! Hoje venho trazer-vos o sorteio de um livro… Li o “O que sabem as mulheres felizes” já há alguns anos, por sugestão de uma amiga, que é uma pessoa maravilhosa e uma Mulher Feliz ;) e hoje lembrei-me de sortear um para vós! :)

Apesar de ter achado o livro giro, com alguns conceitos que vale a pena aprender ou revisitar, gostaria de deixar claro que ele não me mudou a vida, nem vai mudar a vossa!!! Isto porque, simplesmente, NENHUM livro muda a NOSSA VIDA: somos apenas NÓS que temos o poder de ESCOLHER… e como tal, somos nós que temos que agarrar na nossa vida e escrever nela o que decidirmos! NÓS somos não apenas atores, mas também os AUTORES das nossas vidas :) (tal como falei no meu Post de Ano Novo).

Mas espero que este livro (ou este post!!) vos possa trazer algo de Novo… ou um relembrar de conceitos que estejam guardados nalguma gaveta… um impulso para renovar projectos ou simplesmente dar-vos um incentivo para CONSTRUIREM ATIVAMENTE A VOSSA FELICIDADE! :) Continue reading

Numa manhã de Primavera…

Não me recordo da última vez que acordei tão cedo… Ainda está a amanhecer… (ainda nem amanheceu!)

Estou encostada ao mesmo canto do sofá (que até já está mais gasto que o resto) enroscada numa mantinha: O café está delicioso!

Estou a ouvir uma música que não ouvia há muito tempo… é uma música LINDA…

Comecei a aperceber-me que estou em PAZ… Este sentimento de paz e serenidade tem-se vindo a incorporar em mim… lentamente… quase de forma imperceptível…

Sinto-me muito, muito bem neste momento…

É preciso tão pouco para sermos felizes… parece-me que estou a fazer as pazes comigo própria! (será?)

Sinto-me mais calma, mais tranquila, mais madura, incrivelmente sensível, emotiva (sempre…), em paz comigo e com as pessoas significativas!

Este tipo de sentimentos têm vindo a crescer dentro de mim há já alguns meses (… ou já terão passado anos?)

Fui-me apercebendo que estava a modificar… Senti vontade de fazer as pazes com o mundo…

Exorcizei as minhas raivas, desatei os meus nós…

Era necessário… Era vital!

Sinto muito, muito amor no meu coração… e isso faz-me tão bem!

Não quero permitir que injectem em mim ódios, ansiedades e desconfortos vários… Não me apetece andar amarga… vociferar contra os meus infortúnios…

Apetece-me abraçar os meus Amigos…

Apetece-me dizer aos meus Pais que os adoro…

Apetece-me AMAR MUITO!

Porque o amor é talvez a única coisa que aumenta à medida que se parte e reparte… O povo diz que “quem parte e reparte, e não fica com a melhor parte, ou é tolo ou não tem arte!”… Sinto que estou a ficar com uma fatia óptima deste sentimento tão nobre…

Sinto tanta paz neste momento… Esta música é mesmo bonita…

Um ritual…

Hoje tinha tudo para ser mais um dia como os últimos: morno… cinza… com horas a menos e preocupações a mais…

E eis que, de forma absolutamente inesperada, recebo uma CARTA

SIM! SIM! É isso mesmo! Recebi uma carta… dessas como antigamente: escrita à mão, com envelope e selos, recordam-se? E recordam o que nos fazia sentir receber uma carta de um amigo? Era um misto de antecipação, curiosidade e alegria… e ao mesmo tempo o sentimento reconfortante de sentir que somos suficientemente importantes, para alguém se ter dado ao trabalho de nos escrever

E foi TÃO a pérola certa, no momento certo! :) Continue reading

I’m singing in the rain ;D

I sing all the time… (and I mean ALL the time!) :) And it’s not because I believe I am particularly good at it… It’s mainly because MUSIC has always been an important part of my life! Oh and I dance, too…! all the way from my kitchen to my home office ;)

Does that make me a tiny little bit crazy? Oh well… normal is so boring, anyway! I choose HAPPY over NORMAL anytime!! :) Continue reading

LIMITE (uma resposta à Lud*)

Durante muitos anos tive muita dificuldade com a palavra LIMITE!

Por um lado, não sabia quais eram os MEUS limites, e pisava, constantemente, o meu próprio risco (com todas as consequências que isso acarreta). Por outro lado, não conseguia impôr limites a determinadas pessoas, e permitia que ME invadissem… entrassem em mim…  despejassem ou levassem de dentro de mim o que quisessem…

passei anos a subir montanhas, lesionada, sem muletas, às vezes com mais forças, outras a arrastar os pés… mas SUBIA SEMPRE! Sabia que o esforço era enorme, contudo considerava que uma vez subida a serra, tudo iria passar…

passei anos em eu que dominava a arte de engolir palavras que deveria vomitar… sem perceber que o meu estômago, pequenino, não conseguia digerir tudo (eu achava que sim) e algum dia havia de pagar a conta…  Continue reading